Diplomata norte-americana Thomas-Greenfield, visita África com passagem por Cabo Verde

04 de agosto de 2022

A+ A-

A embaixadora dos Estados Unidos da América nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfield, realiza desde ontem  uma visita de quatro dias a três países africanos, incluindo Cabo Verde. Na agenda, a situação de insegurança alimentar e guerra na Ucrânia.

Em declarações antes da partida para esta viagem, que prevê deslocações primeiro ao Uganda e depois ao Gana, a diplomata norte-americana anunciou que vai reunir-se na Praia com o Primeiro-ministro , Ulisses Correia e Silva, e o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Figueiredo Soares.

"Discutiremos todo o leque de assuntos relacionados com a nossa parceria, tanto bilateral como multilateralmente. Cabo Verde tem sido um parceiro incrível para nós. E parte da minha visita é também realmente destacar essa parceria. E agradecer aos líderes cabo-verdianos por essa parceria e essa amizade", declarou Linda Thomas-Greenfield, aos jornalistas.

A diplomata destacou que Cabo Verde é "um importante parceiro" dos EUA e que a visita ao arquipélago, no domingo, será "uma oportunidade" para se "envolver com os parceiros no terreno".
Sobre a visita aos três países em geral, e apesar de assuntos locais em cada um, a embaixadora norte-americana na Organização das Nações Unidas (ONU) sublinhou que o "principal objetivo é ouvir", para poder "entender melhor as preocupações dos ugandeses, ganeses e do povo de Cabo Verde, e partilhar essas preocupações" no regresso.

Linda Thomas-Greenfield reforçou que embora a "insegurança alimentar seja uma crise global", todos sabem que "atingiu particularmente África". Os altos preços da energia, mudanças climáticas, "incluindo secas e inundações severas", a pandemia de covid-19 "e o aumento dos conflitos combinaram-se para levar milhões de pessoas ao limite", enfatizou.

De acordo com a diplomata, os Estados Unidos estão a tentar "liderar o mundo na resposta a essa crise", apoiando a ONU, através de um "roteiro para a segurança alimentar global".
A embaixadora acrescentou que, além das consequências da guerra na Ucrânia para África, a visita a estes três países integra também "uma série de compromissos de alto nível que visam afirmar e fortalecer parcerias e relacionamentos com líderes e povos africanos".

"Como sabem, o secretário [de Estado, chefe da diplomacia norte-americana] Blinken visitará o continente na próxima semana, e esperamos consultas adicionais com os nossos parceiros africanos na abertura da Assembleia Geral da ONU, em setembro. Também lançaremos as bases para uma cimeira EUA-África bem-sucedida em dezembro".

Artigos Relacionados

Programação

Mais Acedidos

Últimos Vídeos

Últimos Áudios