PAICV acusa o Governo de ter aumentado a dívida pública de 2016 e 2017 para 134% do PIB

11 de janeiro de 2021

A+ A-

O PAICV acusa o Governo de ter aumentado a dívida pública de 2016 e 2017 para 134% do PIB, valor superior aos 133% em 2015, um ano antes da sua eleição, pondo em perigo, a credibilidade do país junto dos parceiros. Por esta razão, o maior partido a oposição considera, que, tal como se fez com a de 2015, e pelos mesmos motivos que levaram agora a situação a aprovar a conta de 2016, que, segundo o PAICV viola a lei com avultadas despesas fora do quadro orçamental, deveria ser submetida ao ministério público.

Para o PAICV, a aprovação no último dia sete da conta geral do Estado de 2016, a primeira desta governação a ser apreciada, e já no final do mandato, diz o Secretário-geral, Julião Varela, com votos favoráveis do MPD, e abstenção do PAICV e da UCID, evidência que o MPD usou dois pesos e duas medidas para o efeito.

O documento mostra também, avança Julião Varela, que é o próprio Tribunal de Contas a destacar o facto de que mais de 50% de um total de 188 mil contos afecto a contractos públicos, não foi fiscalizado por falta de colaboração do Governo.

Sobretudo, alega o PAICV, o documento indica, que a forma como foi aprovada a conta geral descredibiliza a reputação do país, revelando, que contrariamente à prometida redução sustentada, a dívida pública tem estado sempre a aumentar.

Notando Julião Varela, que a Covid-19 nada teve a ver com o facto, o PAICV considera, que a conta do estado de 2016 deveria ser remetida ao Ministério Público e, que não o tendo sido, a sua aprovação unicamente pela força da maioria descredibiliza a reputação do país, junto a países amigos e organizações internacionais.

Reportagem RCV com jornalista Cândido Fortes


Artigos Relacionados