Dia da Liberdade e da Democracia: os discursos dos partidos políticos

13 de janeiro de 2021

Sessão solene comemorativa do 13 de Janeiro no Parlamento
A+ A-

A UCID considerou hoje que, 30 anos volvidos sobre a realização das primeiras eleições multipartidárias em Cabo Verde, o discurso politico nacional tem sido marcado por muita crispação e desentendimentos entre os principais atores políticos. Discursando na sessão solene comemorativa do 13 de Janeiro no Parlamento, via plataforma online a partir de São Vicente,  a deputada da UCID, Dora Oriana, apontou como exemplo do desencontro entre os partidos do arco da governação, a falta de consensos sobre reformas estruturais que urge empreender para o desenvolvimento do país.

Do lado do PAICV, o discurso comemorativo do Dia da Liberdade e da Democracia foi feito pelo líder parlamentar, Rui Semedo mergulhou na história recente do país e destacou o 19 de fevereiro de 1990 como o ponto de partida para a mudança de regime politico, que viria a desembocar nas primeiras eleições pluripartidárias no país um ano depois, em 1991. O deputado avalia de forma positiva o percurso democrático em Cabo Verde, mas apontou algumas falhas que, segundo diz, convém resolver. Do rol das deficiências no funcionamento da democracia, o deputado Rui Semedo considerou preocupantes as recentes noticias que ligam o cônsul honorário de Cabo Verde na Florida ao partido português da extrema-direita, Chega…  uma situação, diz Rui Semedo, que não favorece a boa imagem das instituições da república.

Já a intervenção da líder paramentar do MPD foi quase toda ela focada em desconstruir a teoria do PAICV que se arroga  protagonista principal da abertura politica no país. Joana Rosa citou largamente a declaração do Movimento para a Democracia de 1990 que atesta o cerceamento das liberdades e garantias dos cidadãos durante a vigência do partido único. Para a deputada a intervenção do MpD foi determinante para a instauração do regime democrático e pluripartidário a partir de 1991. Passados 30 anos desse marco histórico, é entendimento da deputada, Joana Rosa, que a democracia está ainda a aprimorar-se. A líder parlamentar do MpD referiu-se ao combate à pandemia, tendo enumerado uma série de medidas que o Governo tem vindo a adotar no sentido de apoiar as famílias, as empresas e salvar vidas… infelizmente, diz Joana Rosa, ao contrário do que faz crer o PAICV, o maior partido da oposição tem-se mostrado contra os pobres.

Reportagem RCV


Artigos Relacionados