Basquetebol: “Queria tanto ter ido à Tunísia ajudar minha seleção" - Edy Tavares

03 de março de 2021

Edy Tavares [foto Real Madrid]
A+ A-

Edy Tavares diz que ficou “muito triste” por não ter podido ajudar a seleção nacional de basquetebol durante o torneio de qualificação para o Afrobasket, cuja primeira fase decorreu em finais de 2020 no Egipto e a segunda volta, no mês passado, na Tunísia.

Numa entrevista exclusiva à RCV, o jogador do Real Madrid confessa que ficou “de coração partido’ ao ver, de longe, os seus companheiros a lutar pela qualificação. “Para mim foi triste, porque eu tinha muita vontade de lá estar. Foi difícil para mim, partiu-me o coração não ter podido ajudar.”  

Edy Tavares avançou que pegou com os responsáveis do Real Madrid a ver se o deixavam vir representar Cabo Verde.

“Na primeira vez não me deixaram. Então, na segunda, peguei com eles a ver se me liberavam, mas como o problema da covid-19 e, disseram-me logo que não me deixariam ir. Também argumentaram que eu era um jogador muito importante para a equipa e se eu fosse, causaria problemas”, declarou.

Cabo Verde, recorde-se, conseguiu uma vitória e averbou duas derrotas na primeira volta do grupo E de qualificação para o Afrobasket 2021, disputada em Novembro do ano passado no Egipto. Na segunda volta, em janeiro deste ano, o combinado nacional perdeu os dois jogos que realizou com Egipto e Marrocos. Além de não ter podido contar com Edy Tavares, na segunda volta a equipa orientada por Emanuel Trovoada não pôde contar, também com Ivan Almeida, devido a uma lesão.

Oiça a notícia com as declarações de Edy Tavares



Artigos Relacionados