Kitesurf: Mitu Monteiro recorda volta a Cabo Verde em 2015 e descarta possibilidade de repetir o feito

07 de maio de 2021

A+ A-

Completam hoje seis anos que Mitu Monteiro iniciava uma volta a Cabo Verde sobre uma prancha de kitesurf. Na madrugada do dia 7 de Maio de 2015, o kitesurfista saiu da Palmeira, no Sal, com destino a Porto Novo, Santo Antão. Fez os mais de 200 quilómetros em cerca de oito horas. Era a etapa mais longa. 

Depois deixou Santo Antão rumo a São Vicente, tendo saído na comunidade de Salamansa. E assim continuou, Ligou São Vicente a Santa Luzia e depois São Nicolau, Depois Sal, Boa Vista, Maio. Da ilha do Maio chegou a Santa Cruz em Santiago. Passados dois dias saiu do Tarrafal para Mosteiros, no Fogo e finalmente ligou Fogo a Brava.

A saga de Mitu Monteiro durou 16 dias. Fez, num total, 739 quilómetros, num feito digno do Guiness Book, o livro de recordes mundiais.

Passados estes seis anos, a RCV conversou com o kitesurfista que começou por recordar como surgiu, na altura, essa ideia. Era uma fase em que precisava de um desafio, confessa Mitu.

Ao longo da travessia Mitu foi deparando com muitos encantos, como por exemplo quando viu baleias e outros tunídeos a nadar bem próximo dele. Mas, também, enfrentou muitas dificuldades. A ligação entre São Nicolau e Sal foi a etapa mais dura de todas, a segunda mais extensa, depois do trajecto Sal – Santo Antão.
Perguntamos ao kitesurfista se voltaria a fazer essa aventura. Mitu não pensa nisso.

Não está nos planos de Mitu Monteiro voltar a ligar as ilhas todas sobre uma prancha de kitesurf, feito que conseguiu em maio de 2015. Toda essa saga foi filmada na altura por uma equipa da Red Bull. Um ano depois a empresa divulgou um documentário sobre essa façanha e que pode ser visto até hoje no site daquela companhia austríaca.



Artigos Relacionados