AJOC denuncia tentativa do Ministério Público de amordaçar os Jornalistas e atentar contra a liberdade de imprensa em Cabo Verde

13 de janeiro de 2022

Geremias Furtado, presidente da Associação Sindical dos Jornalistas de Cabo Verde (AJOC)
A+ A-

Associação Sindical dos Jornalistas de Cabo Verde, AJOC, denuncia a tentativa do Ministério Público de amordaçar os jornalistas e atentar contra a liberdade de imprensa.

A AJOC refere-se ao caso em que o jornal online "Santiago Magazine" e o seu jornalista Hermínio Silves foram constituidos arguidos por terem publicado um artigo que coloca o atual Ministro da Administracção Interna, Paulo Rocha no cenário do assassinato do cidadão Zezito Denti d ́Oro.

O assassinato do cidadão cabo-verdiano Zezito Denti d ́Oro, aconteceu na Cidadela, Praia há 7 anos e ninguém mencionava o assunto. Mas há poucos dias o jornal online "Santiago Magazine" publicou um artigo onde coloca o atual Ministro da Administracção Interna, Paulo Rocha no cenário desse crime.

Rocha que na altura era Diretor Adjunto e líder do Grupo de Operações Táticas da Polícia Judiciária. E por causa desse artigo o referido jornal e o jornalista Hermínio Silves foram constituidos arguidos pelo Ministério Público alegadamente por violarem o segredo de justiça. 

A Associação Sindical dos Jornalistas de Cabo Verde, AJOC insurge-se contra esta tentativa de amordaçar os jornalistas e atentar contra a liberdade de imprensa, pois, sublinha que o jornalista não é abrangido pelo segredo de justiça.

A AJOC informa a quem de direito que vai fazer chegar este caso às organizações internacionais de defesa da imprensa livre como a Repórteres Sem Fronteiras e a Federação Internacional dos Jornalistas FIJ.

A AJOC acrescenta que está a trabalhar visando a criação de um consórcio de jornalistas investigativos em Cabo Verde e para o efeito diz já ter o apoio de organismos internacionais.

A organização representativa da classe jornalistica insurge-se também contra o caso em que o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Benfeito Mosso Ramos tentou, alegadamente, pôr em causa a capacidade interpretativa do jornalista Orlando Rodrigues, um veterano da profissão e lamenta que 2022 tenha começado tão mal em termos de liberdade de imprensa em Cabo Verde.



Programação

Ainda esta Semana

Últimos Vídeos

Últimos Áudios